domingo, 17 de abril de 2011

Corre, só corre

Eu o olho
Ele impiedosamente se move
A escolha está a um passo
Mas o tempo, deliberadamente, corre
As opções me devoram
Minh’alma discorre
Num tic-tac uniforme, o tempo
Ele corre.
No avançar dos minutos
Me vejo no fim do mundo
Enquanto todos aguardam
Eu me mover num segundo.
Sigo.
Os ponteiros disparam,
As horas se passam,
O relógio trabalha
Enquanto ele corre,
Só corre
O tempo...
Me socorre.


Por: Ilka Souza

(Primeiro poema que eu entreguei na aula de prática I, no curso de letras da UPE...há poucos dias)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Alívio

Aceite!
Vá!
Faça!
Tente!
Minha cabeça ninguém entende.
Enfim,
Eu digo:
- NÃO!
Aaah!
É um alívio.




Por: Ilka Souza
Loading...