quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Aroma




Sinto o aroma de flores
Mais um ciclo primaveril, vou fechando
Continuo procurando o caminho, sigo andando.
No passado, deixo velhos rancores.

Quatro estações sucederam-se
Cada uma com seu tempo infinito
Cada uma, com uma memória esvaindo-se.
Mas, o aroma de flores, ainda sinto.

O verão dissolvendo-se em lembranças,
O outono desconcertando-me em fortes ventos
Só me deixaram a breve esperança
De, no inverno, não afogar-me em lamentos.

Ah! Doce aroma primaveril,
Sinto que me levas a novos sentidos,
Rogo que me guies a novas estradas.
No fim, te direi que não mais inspiro
O mesmo aroma de flores, em minhas passadas.

Ilka Souza
Loading...